terça-feira, 17 de julho de 2012

Só escrevo para você

queria dizer que sinto saudade, mas é uma saudade de um cheiro que ontem tinha bem perto, de um fio de cabelo perdido na minha blusa, de nossas inseguranças compartilhadas,
tão inocentes,
das nossas sombras em conjuntura com a parede do quarto, da janela entre aberta e os galhos das arvores, os passaros e sonhos curiosos com o que acontece do lado de dentro, dos sons dos nossos estomagos às cinco da tarde, dos estalos dos meus dedos, do seu sorriso,
tão inocente,
do relógio que toda vez que olho marca dez e dez, ainda que seja quatro e meia, sempre dez e dez e a saudade com a impressão de que parou no tempo e nos levitamos no universo contando que será dez e dez para sempre, saudades de quando batímos foto um do outro escondido,saudade das viagens que já fizemos e das que faremos, sinceramente, são destas últimas que sinto mais saudades.

R.B.

3 comentários:

Piero de Manincor Capestrani disse...

realmente a saudade é um tema e tanto. belas palavras. e o blog parou por quê? abraço, Piero

I. Luiz Andrade disse...

É a segunda ou terceira vez que venho ao seu blog, mas certifico que você continua alongando 2012. Sua escrita é muito boa, bem interessante, inquieta. Retorne.

Ricardo Bruch disse...

Luiz, obrigado!!! Fico feliz em ver que as palavras continuam ressonando.... Tentarei colocar algo novo em breve.... Obrigado mesmo